Contato
Pé-de-imprensa
Data protection notice

Serviço Civil pela Paz

Solução não violenta de conflitos

Seja no Sudão, seja no Leste do Congo, em Timor Leste ou na Colômbia... Várias regiões da terra sofrem de guerras civis. Muitas vezes despercebidos pela opinião pública, os conflitos traumatizam as sociedades e fragilizam os estados.  Em outros países, conflitos por recursos incrementam o risco da eclosão da violência e das guerras.

Motivados por questões econômicas, religiosas ou políticas, há grupos que tentam impor seus interesses com violência. As principais vítimas destes conflitos são as populações mais pobres que são esmagadas entre as frentes de combate ou instrumentalizadas como combatentes desta ou daquela causa. Por meio do provimento de cooperantes especializados, o Serviço Civil pela Paz fomenta, antes de tudo de forma preventiva, a solução não violenta e construtiva de conflitos. Os cooperantes apoiam as organizações parceiras que, na sua região, se empenham pela mitigação da violência ou pela superação de um passado marcado pela violência.

O Serviço Civil pela Paz é promovido pelo Ministério de Cooperação Econômica e Desenvolvimento em cooperação com a AGEH e outras sete organizações promotoras da paz e do desenvolvimento. Quase 20 por centro de todos os cooperantes da AGEH atuam no programa de pessoal Serviço Civil pela Paz.

As tarefas dos cooperantes no Serviço Civil pela Paz

Os cooperantes no Serviço Civil pela Paz apoiam as organizações parceiras em todas as fases de conflito: na prevenção, na mitigação da violência e na reabilitação pós-conflito. Entre as suas tarefas principais citamos:

  • o ensino de métodos e conceitos não violentos para a solução pacífica de conflitos;

  • a qualificação de profissionais locais;

  • a superação de preconceitos e da demonização do inimigo, por exemplo por meio de currículos escolares adequados;

  • o fortalecimento da segurança jurídica local;

  • o acompanhamento psicossocial das vítimas, preparando-as para um convívio social pacífico;

  • a reintegração social de ex-combatentes, 

  • a aproximação das partes dos conflitos na mesa de negociações, incentivado o diálogo entre eles;

  • o apoio aos marginalizados para que possam afirmar seus interesses nas negociações;

  • o incentivo a programas de rádio para dar voz à população rural, fomentar o diálogo e construir uma sociedade democrática;

  • a qualificação de jornalistas para que estes, em suas publicações, em vez de aumentarem as tensões existentes, contribuam para sua superação;

  • a defesa dos direitos humanos.

Os promotores do Serviço Civil pela Paz e os cooperantes estão conscientes que uma paz duradoura somente pode prosperar no próprio local do conflito.. A configuração e manutenção dos processos de paz dependem das partes e pessoas envolvidas nos conflitos. Em função disto, os parceiros orientam as atividades de promoção da paz destinadas a apoiar grupos locais que trabalham em prol da justiça, eqüidade e reconciliação. Aos cooperantes cabe acrescentar habilidades, conhecimentos e recursos que estão em falta. A partir de sua condição específica de “quem vem de fora“ usam sua credibilidade, legitimidade, imparcialidade e capacidade de proteção e colocam suas qualidades pessoais (forma de trabalhar, criatividade e solidariedade) a serviço da cooperação intercultural com as organizações parceiras locais.

Interessado em trabalhar no Serviço Civil pela Paz?

Conheça a seguir as experiências profissionais necessárias de quem pretende atuar como cooperante no Serviço Civil pela Paz:

  • formação de adultos, consultoria a organizações e indivíduos e gestão de projetos;

  • construção de redes;

  • relações públicas;

  • planejamento, monitoramento e avaliação.

No Serviço Civil pela Paz importa, ainda, consubstanciar os valores cristãos em ações solidárias. Por isso, os cooperantes devem ser membros de uma igreja cristã, ou seja da Igreja católica-romana, das igrejas protestantes ou ortodoxas.

Conheça aqui o perfil de habilidades, qualificações e características pessoais dos cooperantes no serviço para o desenvolvimento.

Para informações adicionais sobre o Serviço Civil pela Paz, consulte www.ziviler-friedensdienst.org.